"A arte existe para que a realidade não nos destrua." Friedrich Nietzsche



domingo, 28 de maio de 2017

Versos entardecidos


Meu canto é um lugar desabitado
Sou nuança de ocaso e de suas litanias,
de ausência sou metade adormecida
nesse espelho de silêncio e de esperas.
Sou o suspiro das estátuas pétreas
de um jardim distante
adormecido de tempo
e de cansaço. 
Sou o valsar das horas
de um ponteiro parado
que fenece na seda do tempo...
Todavia,

meu canto é de saudade.

Um comentário:

Fabíola Ramos disse...

O goso das tuas palavras abranda o meu coração. Feliz por sua volta! "sou metade adormecida
nesse espelho de silêncio e de esperas".