"A arte existe para que a realidade não nos destrua." Friedrich Nietzsche



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Olhares



A observar a dissonância furta-cor de tuas pálpebras
ó, rosa,
mil risos vertem nas pálpebras
pupilas
pequenas valsam acordes
quando serenas
discretas perfumam
no verso
tímidos tons
em tuas estrelas.

4 comentários:

Kass disse...

QUE PAZ EU SINTO!

é a que tuas palavras transbordam!

Bjo=*

Kleves Gomes disse...

Curioso, um antigo comentário teu em meu blog que usou a palavra "valsa" me levou a ler um poema seu que contém a mesma palavra.

Muito bem moça...

Kleves Gomes disse...

Queria convidar você a integrar a equipe de Marcianos do poestasdemarte.blogspot.com.br

Você pode vir a postar alguns de seus poemas lá, assim como conhecerá outros poetas da blogsfera como Fred Caju, D. Everson...

Se aceitar o convite será uma honra!

Lucas Holanda disse...

Sério mesmo, que linda, sensível e delicada!
De verdade!